REGULAMENTAÇÕES CRIPTOGRÁFICAS EM LIECHTENSTEIN

Desde janeiro de 2020, todas as empresas de blockchain baseadas em Liechtenstein são licenciadas de acordo com a Lei de Provedores de Serviços de Tecnologia Token e Confiável, também conhecida como TVTG ou Lei de Blockchain de Liechtenstein. Posicionou o Liechtenstein entre os primeiros ambientes totalmente regulamentados e mais seguros para empresas de criptografia com vários modelos de negócios. As licenças concedidas variam dependendo das características dos tokens em uso, bem como do tipo de serviços oferecidos.

O quadro regulamentar avançado do Liechtenstein já atraiu uma vasta gama de empresas licenciáveis. Hoje, esta jurisdição acolhedora abriga mais de 80 grandes empresas de blockchain, incluindo a LCX, que é uma bolsa de criptomoedas e a maior plataforma de lançamento de ofertas de tokens de segurança (STOs) baseada em Liechtenstein, a Vlinder Climate, que usa criptoassets para financiar remoções de carbono de manguezais e restauração de algas marinhas, e Crowdli, que realiza a tokenização de imóveis.

Licença de criptografia no Liechtenstein

LEI BLOCKCHAIN DE LIECHTENSTEIN

Regulamentações criptográficas em Liechtenstein

Após mais de três anos de cooperação profunda entre o governo e especialistas da indústria, supervisão e ciência, a Lei Blockchain entrou em vigor em 1 de janeiro de 2020. A Lei Blockchain permanece tecnologicamente neutra, ou seja, a estrutura está aberta a vários inovações tecnológicas e, portanto, abrange muitos tipos de negócios. Por outro lado, é considerado abrangente, pois esclarece e regulamenta diversos aspectos relativos a produtos e serviços baseados em blockchain.

O objetivo da Lei Blockchain é construir e manter a confiança na economia simbólica, particularmente no setor financeiro e econômico, proteger os usuários de sistemas de tecnologias confiáveis ​​(TT), principalmente através do combate ao crime financeiro, bem como criar um ambiente ideal e inovador. orientado e aberto a diversos enquadramentos de soluções tecnológicas para produtos e serviços baseados em sistemas TT. Esta ampla abordagem regulatória foi escolhida com a intenção de cobrir o maior número possível de formas de moldar a economia simbólica. As autoridades locais admitiram que quaisquer esforços para construir uma estrutura para vários negócios criptográficos muito específicos teriam levado aqueles que não se enquadram nas definições legais a mais incerteza jurídica.

É importante notar que, em comparação com os conceitos da Força-Tarefa de Ação Financeira (FATF), o principal órgão de fiscalização global contra lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo, o regulador de Liechtenstein usa terminologia diferente para vários elementos da economia blockchain. Por exemplo, os prestadores de serviços de ativos virtuais (VASPs) mundialmente reconhecidos no Liechtenstein são chamados prestadores de serviços de TT. Tecnologias confiáveis ​​(TT) são definidas como tecnologias através das quais a integridade dos tokens, a alocação clara de tokens a um identificador TT e a transferência de tokens podem ser garantidas. A Lei Blockchain cria um ambiente seguro e segurança jurídica para usuários e prestadores de serviços de TT, incluindo regras transparentes para emissões e vendas de tokens.

Tokens são definidos como informações que podem representar reivindicações ou direitos de associação, direitos de propriedade ou outros direitos absolutos ou relativos e que são atribuídos a um ou mais identificadores TT. A definição não vincula os tokens a nenhuma tecnologia específica que permita capturar não apenas criptomoedas, mas também quaisquer tokens baseados em blockchain projetados para uso em outros setores que não o financeiro.

Além disso, para cobrir todos os aspectos da tokenização, incluindo características e bases tecnológicas variadas, o novo quadro regulamentar estabeleceu o modelo de contentor de tokens (TCM), o que implica que um token serve como um contentor, dentro do qual podem ser colocados todos os tipos de direitos. A este respeito, os tokens podem ser usados ​​além dos títulos para cobrir direitos musicais, patentes, moedas utilitárias, direitos de software e muito mais. Por outro lado, o contêiner pode ser armazenado vazio (por exemplo, o código digital da blockchain Bitcoin).

É importante ressaltar que os direitos e ativos dentro do contêiner do token permanecem os mesmos, mesmo que o token seja mantido em um portfólio, transferido para um novo proprietário ou armazenado por um provedor de serviços de custódia. Um token armazenado em um contêiner no blockchain representa direitos como ouro ou propriedade de outras mercadorias. O ouro pertence ao proprietário do token e pode ser transferido para outro proprietário sem a necessidade de alterar sua localização física. Em outras palavras, o mundo físico vinculado permanece inalterado apesar da transação virtual de um token.

A função de um validador físico foi criada para garantir que os mundos físico e digital estejam completamente sincronizados e que o direito representado pelo token possa ser aplicado e os itens mantidos pelo token possam ser verificados (por exemplo, protegendo os ativos do mundo real em um cofre). Um validador físico é definido como um terceiro confiável que faz a mediação entre as partes contratantes e que confirma que o direito tokenizado representado online existe e que a pessoa que afirma possuir o direito offline é o proprietário legal.

Mesmo que o titular tenha o direito exclusivo de dispor do token, a ligação entre tal ativo e o seu titular não é definida pela propriedade. Para descartar tokens, o proprietário deve primeiro estar registrado na blockchain e todas as partes envolvidas precisam concordar que o proprietário tem o direito de transferir os tokens. Os tokens podem ser adquiridos de boa-fé, caso o alienador não tenha o direito de descartar o token de forma legítima. Se um token ou acesso ao token for perdido, o proprietário poderá registrar uma petição para separar o direito subjacente do token. O direito subjacente pode posteriormente ser alienado independentemente do token.

Os tokens podem ser classificados como tokens de segurança ou tokens de utilidade, o que determina se os investidores ou detentores de tokens têm permissão para trocá-los dentro do ambiente regulamentado do mercado secundário. Por exemplo, os tokens utilitários podem ser negociados através de plataformas centralizadas de troca de criptografia disponíveis no Liechtenstein e regulamentadas pela legislação ABC/CFT. A troca de outros tipos de tokens também depende em grande parte das suas características (finalidade, direitos contidos, etc.) e da indústria da qual fazem parte. Por exemplo, se um token for considerado um instrumento financeiro, a Lei Bancária também será aplicável. Se você deseja examinar onde seu projeto de criptografia potencialmente se encaixaria na estrutura, entre em contato conosco e nossos consultores qualificados e experientes terão o prazer de agendar uma consulta personalizada.

Este quadro regulamentar dinâmico permite a introdução contínua de soluções inovadoras baseadas em blockchain e, ao mesmo tempo, proporciona segurança jurídica para uma variedade de modelos de negócios, incluindo direitos pré-existentes tokenizados. Para acomodar o desenvolvimento da economia simbólica, o Liechtenstein chegou ao ponto de alterar o Código Civil para permitir que o mundo simbólico tivesse precedência sobre o mundo real em situações em que existem tokens para expressar vários tipos de direitos.

LEGISLAÇÃO ANTILAVAGEM DE DINHEIRO E FINANCIAMENTO DO TERRORISMO

Para combater o branqueamento de capitais e o financiamento do terrorismo, o Liechtenstein é obrigado a transpor as 4ª e 5ª Diretivas da UE contra o branqueamento de capitais (4AMLD e 5AMLD) e os regulamentos relevantes da UE. As principais leis nacionais são a Lei sobre a Devida Diligência Profissional para a Prevenção da Lavagem de Dinheiro, do Crime Organizado e do Financiamento do Terrorismo (a Lei da Devida Diligência) e a Portaria sobre a Devida Diligência Profissional para a Prevenção da Lavagem de Dinheiro, do Crime Organizado e do Financiamento do Terrorismo. (a Portaria de Due Diligence) que estabelece regras para os procedimentos KYC em conformidade com a legislação da UE. Todas as empresas de criptografia licenciadas pelo MFA são obrigadas a aderir às regras ABC/CFT e, desta forma, proteger os seus clientes, bem como salvaguardar a estabilidade do mercado em que operam.

Os seguintes prestadores de serviços de TT estão sujeitos à Lei de Due Diligence:

  • Emissores de tokens emitindo tokens profissionalmente
  • Emissores de tokens que não são legalmente obrigados a se registrar junto à autoridade, mas emitem tokens não de forma profissional, que um investidor compra por mais de 1.000 CHF (aproximadamente 1.000 EUR) em uma ou várias transações
  • Depositários de chaves TT
  • Depositários de tokens TT
  • Protetores TT
  • Validadores físicos
  • Provedores de serviços de câmbio TT
  • Agentes de TT que são legalmente obrigados a registar-se junto da autoridade quando prestam serviços a qualquer um dos prestadores de serviços de TT acima mencionados
  • Comerciantes de mercadorias que aceitam criptomoedas ou outros tokens criptográficos equivalentes a 10.000 CHF (aproximadamente 10.000 EUR) como pagamento de mercadorias

Disposições da Lei de Due Diligence

Esta Lei tem por objetivo regular a aplicação dos procedimentos de devida diligência que deverão ser implementados pelos referidos prestadores de serviços, obrigados a combater a lavagem de dinheiro, o crime organizado e o financiamento do terrorismo nos termos do Código Penal. As sucursais de empresas estrangeiras no Liechtenstein que atuam como prestadores de serviços de TT também estão sujeitas a esta lei.

As seguintes regras são de particular importância:

  • Sistemas de TI seguros, atualizados e eficazes devem ser usados ​​ao monitorar relações comerciais de uma forma que seja proporcional aos riscos potenciais
  • Os prestadores de serviços de TT devem monitorar os riscos relativos às relações comerciais, incluindo as transações, e procedimentos simplificados ou avançados de due diligence do cliente, onde é obrigatório identificar e verificar informações como a parte contratante, o beneficiário efetivo e o perfil comercial
  • É de suma importância realizar regularmente uma avaliação de riscos para determinar, documentar e relatar os riscos relacionados à lavagem de dinheiro, ao crime organizado e ao financiamento do terrorismo.
  • É fundamental garantir que os riscos decorrentes do desenvolvimento de novos produtos ou práticas comerciais ou do uso de tecnologias novas ou em desenvolvimento sejam avaliados antecipadamente e de acordo com os regulamentos

Disposições da Portaria de Due Diligence

De acordo com a Lei de Due Diligence acima mencionada, o governo do Liechtenstein emitiu a Portaria de Due Diligence com foco, entre outros, na identificação e verificação das partes contratantes e dos beneficiários efetivos, perfil empresarial, reporte à Unidade de Inteligência Financeira (UIF). ), mecanismos internos e requisitos de auditoria.

Principais aspectos notáveis:

  • Especificação das pessoas politicamente expostas, mencionadas na Lei (por exemplo, embaixadores, chefes de estado, chefes de governo, membros do parlamento)
  • Especificação do beneficiário efetivo (por exemplo, as pessoas físicas que direta ou indiretamente detêm ou controlam uma ação ou direitos de voto no valor de 25% ou mais dessas entidades legais)
  • Princípios básicos de verificação do cliente (por exemplo, inspecionar documentos com valor probatório (originais ou cópias autenticadas) relacionados à parte contratante, e que pessoas que pretendem agir em nome de uma pessoa jurídica estão autorizadas a fazê-lo)

A supervisão das empresas criptográficas

De acordo com a Lei Blockchain, as empresas criptográficas são obrigadas a registar-se e a ser aprovadas pela Autoridade do Mercado Financeiro do Liechtenstein (FMA), que é uma autoridade de supervisão integrada do mercado financeiro, incluindo os licenciados ao abrigo da Lei Blockchain e dos regulamentos AML/CFT. Ao fazer cumprir a regulamentação, a FMA se esforça fundamentalmente para combater a lavagem de dinheiro, o crime organizado e o financiamento do terrorismo que podem ocorrer através do uso de produtos e serviços criptográficos, e desta forma garantir a estabilidade do mercado financeiro e de seus participantes, bem como o proteção dos clientes.

A autoridade possui um balcão fintech especial para lidar com regulamentações criptográficas, o que deve aumentar a capacidade de resposta dos departamentos relevantes. Além disso, para facilitar o desenvolvimento de tecnologias blockchain, foi criado o Gabinete de Inovação e Digitalização de Centros Financeiros, um órgão governamental especial. Isto indica que o Liechtenstein está bem preparado e ansioso para promover a adoção de soluções baseadas em blockchain a nível nacional.

Liechtenstein

capital

Capital

population

População

currency

Moeda

gdp

PIB

Vaduz 38,387 CHF $157,755

TAXAS ANUAIS DE SUPERVISÃO

A FMA cobra uma taxa de supervisão anual que se aplica a todas as empresas de criptografia autorizadas. A taxa de supervisão consiste numa taxa básica fixa e numa taxa adicional variada e está limitada a um montante máximo anual. Se uma empresa supervisionada possuir licenças, autorizações ou reconhecimentos para várias categorias supervisionadas, ou se a empresa supervisionada estiver sujeita à supervisão da FMA para várias categorias de atividades económicas, está sujeita à taxa para cada uma destas categorias.

Para ilustrar, os custodiantes de chaves de TT, os custodiantes de tokens de TT, os validadores físicos e os prestadores de serviços de câmbio de TT são obrigados a pagar as seguintes taxas anuais de supervisão:

  • A taxa anual básica é de 500 CHF (aproximadamente 500 EUR), que se aplica apenas uma vez aos prestadores de serviços TT registados para vários serviços TT.
  • A taxa adicional é de 0,25% da receita bruta de vendas de todos os serviços da TT menos IVA e outros impostos diretamente relacionados com as vendas num exercício financeiro
  • A taxa total anual de supervisão por pessoa supervisionada para prestadores de serviços de TT é de no máximo 100.000 CHF (aproximadamente 100.000 EUR)

Embora a taxa básica e o limite da taxa máxima permaneçam frequentemente os mesmos para outros prestadores de serviços, outros princípios variam de acordo com o modelo de negócio criptográfico. A lista completa das taxas anuais de supervisão pode ser encontrada no Anexo 2 da Lei de Supervisão do Mercado Financeiro (FMSA) .

PORQUÊ ESCOLHER O QUADRO REGULAMENTAR DO LIECHTENSTEIN

Ser capaz de operar com uma das estruturas regulatórias mais avançadas não apenas elimina o fardo de padrões regulatórios pouco claros e de mudanças futuras iminentes, mas também posiciona instantaneamente a empresa de criptografia como um líder confiável em escala global. Além disso, as autoridades do Liechtenstein estão abertas à adopção de negócios alimentados por blockchain e conduzem avidamente conversações com empresários, académicos e outras pessoas envolvidas.

Principais vantagens de ter um negócio de criptografia no Liechtenstein:

  • A Lei Blockchain fornece uma estrutura única, clara, abrangente e dinâmica para uma vasta gama de empresas de criptografia
  • As autoridades estão em diálogo contínuo com os participantes da indústria, o que lhes permite manter-se familiarizados com as mudanças mais recentes e adaptar as suas políticas às necessidades da indústria.
  • O processo de criação de uma nova empresa é fácil e quase sem atrito
  • Uma vez inscrita a nova empresa no Registro Comercial, o capital autorizado anteriormente transferido é liberado e pode ser utilizado a critério do proprietário
  • Políticas como não inserir informações sobre acionistas e beneficiários no Cadastro Público e não divulgá-las permitem a manutenção da eficiência e confidencialidade da empresa
  • O IVA é de apenas 7,7%, o que é uma taxa muito baixa em comparação com outras jurisdições europeias

Licença criptográfica em Liechtenstein

As pessoas singulares e coletivas com sede social ou local de residência no Liechtenstein não devem começar a operar como participantes no mercado de criptomoedas sem uma licença aplicável concedida pela autoridade de supervisão e antes da inscrição no Registo de Fornecedores de Serviços TT. Esta regra também se aplica a emissores de tokens que emitem tokens em seu próprio nome ou em nome de um cliente em uma capacidade não profissional, se os tokens forem no valor de 5 milhões. CHF (aproximadamente 5 milhões de euros) ou mais serão emitidos dentro de 12 meses civis.

A FMA é responsável pelo licenciamento de empresas criptográficas no Liechtenstein e avalia cada pedido caso a caso dentro do quadro jurídico aplicável. A autoridade pode decidir que não é necessária licença para um determinado modelo de negócio e pode, consequentemente, aconselhar que se aplique um conjunto diferente de requisitos e regulamentos. Se um requerente pretender realizar negócios transfronteiriços (por exemplo, anunciar no estrangeiro ou abordar clientes no estrangeiro), deve notificar antecipadamente o MFA se o modelo de negócio está sujeito a licenciamento no país estrangeiro escolhido.

Para ser registada com sucesso como prestadora de serviços de TT, uma empresa deve primeiro cumprir uma lista de requisitos legais relativos à legislação acima mencionada e preencher corretamente o requerimento eletrónico. Não fazer isso pode atrasar significativamente o processo de inscrição, que normalmente dura até três meses. A taxa de inscrição para uma licença é de 1.500 CHF (aproximadamente 1.500 EUR), que não é reembolsável em caso de rejeição do pedido. No caso de requerer várias licenças, a primeira custa 1.500 CHF (aprox. 1.500 EUR) e o pedido de cada licença adicional custa 700 CHF (aprox. 700 EUR).

REGULAÇÃO DE CRIPTO EM LIECHTENSTEIN

Período para consideração
3 meses Taxa anual de supervisão A partir de 500€
Taxa estadual para aplicação
1.500 € Membro da equipe local Obrigatório
Capital social exigido 30.000 € Escritório físico Obrigatório
Imposto de Renda 12,5% Auditoria contábil Não

ABRA UMA EMPRESA CRIPTOGRÁFICA EM LIECHTENSTEIN

Para ser elegível para uma licença de criptografia no Liechtenstein, é obrigatório primeiro estabelecer uma empresa local, que cumpra os requisitos específicos da criptografia, incluindo os diversos controles internos. O Registo Comercial é responsável pela constituição de empresas do Liechtenstein e normalmente processa os pedidos no prazo de duas semanas, desde que sejam de boa qualidade. É importante ressaltar que todas as empresas do Liechtenstein são obrigadas a pagar uma taxa anual de 1.200 CHF (aproximadamente 1.200 EUR).

Os requisitos de capital inicial variam de acordo com o tipo e âmbito dos serviços de TT planeados. Por exemplo, os emissores de tokens podem ser obrigados a possuir entre 50.000 CHF (aproximadamente 50.000 EUR) e 250.000 CHF (aproximadamente 250.000 EUR), enquanto os prestadores de serviços de câmbio TT devem ter entre 30.000 CHF (aproximadamente 30.000 EUR) e 100.000 CHF (aproximadamente 100.000 euros). É importante ressaltar que estes requisitos de capital mínimo não devem ser reduzidos em nenhum momento e os candidatos que pretendam fornecer vários serviços de TT devem cumprir o respetivo requisito de capital mínimo mais elevado.

A estrutura empresarial jurídica mais popular no Liechtenstein é uma Sociedade de Responsabilidade Limitada (GmbH), que pode ser constituída por pelo menos dois acionistas, ambos estrangeiros. Uma Sociedade por Ações (AG) é mais complexa e pode ser criada para atividades comerciais em nível internacional, incluindo negociação em bolsa de valores e coordenação de ativos de subsidiárias. Pode ser estabelecido por um número mínimo de dois acionistas.

Requisitos principais para ambos os tipos de empresas envolvidas em atividades criptográficas:

  • O diretor deve ser residente em Liechtenstein
  • É obrigatório nomear um responsável pela conformidade e opcional abrir um departamento de conformidade dedicado
  • É obrigatório alugar um escritório no Liechtenstein
  • Uma empresa do Liechtenstein deve contratar pessoal local

LEGISLAÇÃO FISCAL NO LIECHTENSTEIN

O Liechtenstein é conhecido pelo seu quadro fiscal claro, transparente e eficiente. Os impostos são recolhidos e administrados pela Administração Tributária e os criptonegócios estão no seu âmbito administrativo. Assim, aplicam-se as taxas habituais de imposto na maioria dos casos e de acordo com as especificidades dos serviços ou produtos prestados. Além disso, a autoridade é responsável pela troca de informações com autoridades fiscais estrangeiras com base em acordos fiscais celebrados.

De acordo com a Lei de Due Diligence e a Portaria de Due Diligence, a Crypto Travel Rule se aplica a todas as transações de TT, incluindo as transferências de criptoativos. A nível internacional, significa que os prestadores de serviços de ativos virtuais (VASPs) devem partilhar dados do originador e do beneficiário entre si durante transações criptográficas que excedam o limite de 1.000 USD (aproximadamente 919 EUR).

Se você está convencido de que o ambiente regulatório de Liechtenstein se adapta ao seu modelo de negócios de criptografia e visão de crescimento, nossos consultores altamente qualificados e experientes aqui na Regulated United Europe (RUE) terão o prazer de equipá-lo com o conhecimento necessário que o ajudará a traçar seu caminho para sucesso. Compreendemos muito bem e monitorizamos de perto a legislação relacionada com criptomoedas no Liechtenstein e no resto da UE e, portanto, podemos orientá-lo no processo de cumprimento das regulamentações locais. Além disso, teremos todo o prazer em ajudá-lo na abertura e licenciamento de uma nova empresa, bem como na gestão da contabilidade financeira e na otimização fiscal. Agende agora uma consulta personalizada para iniciar uma nova jornada na indústria de criptografia.

Milana

“O Liechtenstein é reconhecido como uma das jurisdições mais avançadas e colaborativas, com um vasto quadro regulamentar. O meu nome é Milana e terei todo o gosto em aconselhá-lo nesta matéria.”

Milana

GESTOR DE LICENÇAS

phone1+370 661 75988
email2 [email protected]

EQUIPE DE SUPORTE AO CLIENTE RUE

Milana
Milana

“Olá, se você deseja iniciar seu projeto ou ainda tem alguma dúvida, pode definitivamente entrar em contato comigo para obter assistência abrangente. Entre em contato comigo e vamos iniciar seu empreendimento.”

Sheyla

“Olá, sou Sheyla e estou pronta para ajudar em seus empreendimentos comerciais na Europa e em outros lugares. Seja nos mercados internacionais ou explorando oportunidades no exterior, ofereço orientação e suporte. Sinta-se livre para me contatar!"

Sheyla
Diana
Diana

“Olá, meu nome é Diana e sou especialista em atender clientes em diversas dúvidas. Entre em contato comigo e poderei fornecer suporte eficiente em sua solicitação.”

Polina

“Olá, meu nome é Polina. Terei todo o prazer em fornecer-lhe as informações necessárias para lançar o seu projeto na jurisdição escolhida – contacte-me para mais informações!”

Polina

CONTATE-NOS

No momento, os principais serviços da nossa empresa são soluções jurídicas e de compliance para projetos FinTech. Nossos escritórios estão localizados em Vilnius, Praga e Varsóvia. A equipe jurídica pode auxiliar na análise jurídica, estruturação de projetos e regulamentação legal.

Company in Lithuania UAB

Número de registro: 304377400
Ano: 30.08.2016
Phone: +370 661 75988
Email: [email protected]
Endereço: Lvovo g. 25 – 702, 7º andar, Vilnius,
09320, Lituânia

Company in Poland Sp. z o.o

Número de registro: 38421992700000
Ano: 28.08.2019
Phone: +48 50 633 5087
Email: [email protected]
Endereço: Twarda 18, 15º andar, Varsóvia, 00-824, Polônia

Regulated United Europe OÜ

Número de registro: 14153440–
Ano: 16.11.2016
Phone: +372 56 966 260
Email:  [email protected]
Endereço: Laeva 2, Tallinn, 10111, Estônia

Company in Czech Republic s.r.o.

Número de registro: 08620563
Ano: 21.10.2019
Phone: +420 775 524 175
Email:  [email protected]
Endereço: Na Perštýně 342/1, Staré Město, 110 00 Praga

POR FAVOR DEIXE SEU PEDIDO